Hoje, mais do que uma boa remuneração e estabilidade no trabalho, os jovens profissionais (aqui uma referência a geração Y ou Millennials) buscam uma empresa que dê oportunidades de crescimento e aprendizado. Mais do que subir na escala da pirâmide, é importante estar em uma empresa em que se “sintam parte”, e mais do que isso, sintam-se desafiados. Conhecerem a estratégia, estar em contato com a alta liderança e conhecer o propósito da empresa também são primordiais para a atração e retenção desses profissionais.

Por outro lado, as empresas (talvez ainda nem todas), buscam, além de formação de primeira linha, MBA, idiomas e experiência em empresas consideradas “grifes” no mercado, profissionais que tenham a capacidade de aprender rápido, se adaptar a mudanças e trazer soluções criativas para problemas complexos.

No mundo conectado, VUCA e cheio de mudanças em que vivemos, as competências comportamentais e atitudes se tornaram fundamentais, pois a forma como os profissionais lidam com as situações complexas e de incertezas é que definirão resultados mais eficientes para as organizações.

Em uma época em que tudo é líquido, superficial e instável, a busca pelo propósito do trabalho e o que ele significa para cada indivíduo é fator chave para realização profissional. Ao mesmo tempo, as empresas que conseguem traduzir seus propósitos em ações e de fato, vivenciá-los, ativam o engajamento de seus colaboradores, o que, por consequência, traz resultados efetivos para a organização.

Nas empresas do setor de Energia, isso não é diferente. Por ser um mercado extremamente dinâmico e volátil, buscam-se profissionais que tenham essas características no DNA.

Claro que, por ser um mercado bastante técnico, encontrar profissionais com experiência no segmento (o que não é tão fácil) torna o candidato ainda mais completo e habilitado para a posição.

Somado a tudo isso, quando se pergunta a um candidato o que ele realmente deseja de uma empresa, na maioria das vezes a resposta ouvida é: Reconhecimento. Reconhecimento pelo trabalho executado, pelo projeto concluído com impacto significativo dentro da organização.

Isso é mais que um bônus “gordo” no final do ano ou uma gratificação monetária extra. Isso é sentir parte, é o senso de pertencimento, sentir que há a possibilidade de colaborar, de verdade, com o crescimento da empresa.

Portanto, quando ambos (empresa e colaborador) podem experimentar o reconhecimento, a mágica do PROPÓSITO acontece. O colaborador percebe o verdadeiro significado de seu trabalho e a empresa, observa que seus valores estão sendo praticados. É uma relação de ganha-ganha.

Se você tem no seu DNA vontade de aprender e se desenvolver em um mercado que cresce a cada dia, a Ecom Energia é a empresa que você está buscando.

Envie seu currículo para rh@ecomenergia.com.br e faça parte do nosso time! A Diferença Está Na Nossa Energia!

Carolina Pilon – Business Partner