O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 5 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, de acordo com novo levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). A entidade calcula que a instalação desses sistemas já trouxeram mais de R$ 26,8 bilhões em novos investimentos privados no País.

Levando em conta apenas o segmento de geração centralizada, o Brasil possui 2,68 GW de potência instalada em usinas solares fotovoltaicas, o que representa 1,5% da matriz elétrica nacional. Essas unidades representam a sétima maior fonte de geração do Brasil, com 92 empreendimentos em operação em nove estados (Piauí, Ceará, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Minas Gerais, São Paulo e Tocantins).

Já no caso da geração distribuída, são 2,42 gigawatts de potência instalada, totalizando R$ 12,8 bilhões em investimentos desde 2012 nas cinco regiões do país.

A energia solar terá função cada vez mais estratégica para o atingimento das metas de desenvolvimento econômico do País, sobretudo agora para ajudar na recuperação da economia após a pandemia, já que se trata da fonte renovável que mais gera empregos no mundo”, comentou o presidente do Conselho de Administração da AbsolarRonaldo Koloszuk.

Nas crises de 2015 e 2016, o PIB do Brasil foi de -3,5% ao ano, mas o setor solar fotovoltaico cresceu mais de 300% ao ano. Com isso, ajudamos na recuperação do País. Agora, [quando] passada a fase mais aguda da atual pandemia, a energia solar fotovoltaica irá novamente alavancar a recuperação do Brasil. A solar será parte da solução, tanto para a nossa sociedade, quanto para o meio ambiente”, acrescentou o CEO da AnsolarRodrigo Sauaia.

Fonte: Site PetroNotícias