Digitalização: um novo mundo para o setor elétrico

Ecom
  • 25/11/2020
  • 2 min de leitura

No 23º episódio do podcast Giro Energia, o tema de discussão foi a digitalização do setor elétrico, mais especificamente em comercialização.

A adoção do PLD Horário, a partir de janeiro de 2021, é um fator que impulsiona os investimentos das empresas em novas plataformas e serviços para os clientes livres. Mas, então, o que pode ser criado? Qual mundo novo pode ser aberto?

Para responder a essas perguntas, entrevistamos Gilberto Figueira, consultor independente, Carlos Simionato, consultor de energia da Logicalis, e Paulo Toledo, sócio da Ecom Energia.

A digitalização do setor elétrico impulsionada pelo PLD Horário

Sem dúvida, o PLD Horário tem como principal função impulsionar as empresas a investirem em digitalização. Já que hoje se trabalha com cerca de 48 referências por mês de preço. Logo após o início de 2021, com o PLD Horário, serão quase três mil.

De acordo com o consultor independente Gilberto Figueiras, isso implica que o nível de complexidade também se altera e as empresas precisarão ter em mãos muito mais dados.

As comercializadoras nesse cenário

Para o sócio-diretor da Ecom Energia, Paulo Toledo, as comercializadoras vão ter que encarar o desafio, nesse novo mundo que se abre, de criar pacotes de serviços customizados para os clientes.

Além disso, a análise de dados, a previsão climática, novos referenciais de preço e o lançamento de derivativos vão tornar o mercado muito mais complexo, o que vai fazer, portanto, com as que comercializadoras tenham de se adaptar aos novos tempos.

  • Quais novos produtos surgirão no mercado?
  • A digitalização criará mesmo novas plataformas para os clientes?
  • Quais serão as demandas desse novo mundo?

Confira todas as respostas para as questões de digitalização, PLD Horário, comercializadoras e muito mais no Giro Energia! Separe os fones de ouvir para ouvir o nosso podcast.

Conteúdo relacionado