Energia eólica: potencial brasileiro e tendência offshore

Ecom
  • 27/01/2023
  • 5 min de leitura

O Brasil é um país rico em energia renovável. Em sua enorme gama de possibilidades está a energia eólica, a eletricidade gerada pelos ventos, cuja exploração cresce fortemente desde 2020. De lá para cá, a potência instalada em operação comercial deu um salto de 17,75 para 28,5 gigawatts (GW). Em 2023, esse número representa, até o momento, 15% da matriz energética do Sistema Interligado Nacional (SIN), contando com 869 parques eólicos. 

Num cenário em que a transição energética se torna urgente, quais são os benefícios de se adotar essa fonte energética? Confira os dados e a tendência desse mercado para 2023.

A energia eólica e o Brasil

Segundo o Annual Wind Report 2022, emitido pelo Conselho Global de Energia Eólica (GWEC, na sigla em inglês), o Brasil está na 6ª posição do ranking mundial de capacidade instalada de energia eólica. Tanto, que acumula 70% do potencial de geração na América Latina. 80% dessa força produtiva está no Nordeste brasileiro, região que tem um dos melhores ventos do mundo, por serem constantes e dificilmente mudarem de direção. 

O InfoVento 29, mais recente informativo da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), aponta os efeitos positivos dessa indústria para a economia e a sustentabilidade brasileira. Entre 2011 e 2020, as eólicas movimentaram R$321 bilhões, e a cada novo megawatt instalado gera 15 postos de trabalho. De acordo com o estudo da GO Associados, a instalação de parques eólicos contribui também para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) e do Índice de Desenvolvimento Humano do Município (IDHM).

Ademais, por meio da fonte, a emissão de mais de 34,4 milhões de toneladas de CO2 foram evitadas em 2021. Sendo assim, é uma das grandes apostas de investimento para empresas que desejam utilizar energia limpa, tornando-se mais sustentáveis.

Tendência à vista: Energia eólica offshore

A energia eólica está dividida em duas frentes, que dizem respeito ao local em que são instaladas. A onshore, que define os parques alojados em terra, e a offshore, no mar, a 20 km da costa. De acordo com a sondagem da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o potencial eólico marítimo brasileiro chega 700 GW, isto é, o mesmo que a produção de 50 hidrelétricas de Itaipu. 

A instalação desses aerogeradores em fundações no mar, no entanto, pode levar até sete anos. Nesse sentido, atualmente mais de 70 projetos aguardam o licenciamento ambiental para caminhar. Isso porque a construção exige um estudo minucioso de rotas de animais marinhos, costeiros e das aves migratórias. Também, das áreas de pesca e extração de petróleo e gás. Nesse sentido, os primeiros leilões para essa modalidade devem ocorrer em 2023. 

Benefícios da energia eólica

A energia eólica é benéfica, pois tem baixo custo de instalação e ocupa pouco espaço. No caso da energia onshore, a terra pode ser mais bem aproveitada para demais práticas, como a criação de animais e o cultivo de plantações, por exemplo. Além disso, o compromisso ambiental é reforçado, uma vez que as usinas eólicas não emitem gases do efeito estufa. 

Embora possua como característica a sazonalidade e a variabilidade nas correntes de ar, outro custo-benefício está na baixa tarifa de energia. Também é possível aumentar a rentabilidade ao construir torres mais altas, e assim aproveitar melhor os ventos. 

A modalidade offshore se aproxima tecnicamente da onshore, recebendo o vento das turbinas e gerando eletricidade por meio do movimento. Mas se mostra mais vantajosa pela capacidade produtiva. Isso, em razão da grandeza das turbinas e da alta velocidade dos ventos, que não encontram barreiras como montanhas e edifícios para fluir e gerar mais energia.

Escolha sua fonte no Mercado Livre de Energia

O consumidor que opera no Ambiente de Contratação Livre (ACL), pode escolher de qual fonte deseja comprar a sua energia, incluindo a eólica. Dessa forma, pode garantir que 100% do seu consumo energético seja proveniente de fonte limpa. 

Outros benefícios de migrar para o Mercado Livre de Energia estão: 

  • A redução de até 40% do custo com energia elétrica; 
  • A melhora na gestão de suprimentos com maior previsão de despesas; 
  • A liberdade para escolher fornecedores; 
  • A livre negociação de contrato; 
  • O desconto da energia limpa na tarifa de distribuição; 
  • A ausência de bandeiras tarifárias; 
  • A possibilidade de rentabilidade extra com a venda de energia excedente. 

Conclusão

A Ecom Energia é uma empresa de energia que atua há 20 anos em diversas frentes do mercado energético. Nós apoiamos e incentivamos a caminhada rumo a um planeta mais sustentável. Deseja migrar para o Mercado Livre de Energia? Fale com nossos especialistas e garanta seu diagnóstico gratuito:

Conteúdo relacionado