É comum que as empresas se surpreendam, anualmente, com os reajustes aplicados no mercado cativo de energia. Isto acontece porque, a cada ano, passamos pelos reajustes tarifários das distribuidoras. Então, a cada aniversário, a distribuidora realiza o seu reajuste, os quais são homologados pela Aneel.

De que forma o mercado livre pode te ajudar neste ponto? Primeiramente, vamos entender a composição dos custos em sua conta de energia.

Toda conta do mercado cativo é composta do custo da energia somados aos custos de distribuição. Podemos separá-los da seguinte forma:

infografico-mostra-como-funciona-o-custo-de-energia-no-mercado-cativo

É sempre bom lembrar que a distribuição possui modalidades tarifárias, que determinam as cobranças nos horários de ponta e fora ponta. Em resumo, temos um artigo que fala sobre isto e explica com detalhes sobre o desconto na TUSD.

No entanto, a partir do momento em que uma empresa migra para o mercado livre, a tarifa de energia, que antes era cobrada pela distribuidora, passa a ser substituída por um contrato de energia, firmado bilateralmente, com um gerador ou comercializador, que possui características próprias, sendo algumas delas:

  • Volume: Quantidade de energia, expressa em MWmédio, ou MWh;
  • Tipo de energia: Convencional ou Incentivada;
  • Período: Tempo de fornecimento do contrato;
  • Custo: Valor do MWh a ser pago;
  • Data Base: Data em que o contrato foi fechado;
  • Reajuste: Indicador de reajuste inflacionário, ex. IGP-M, IPCA.

Por que o Mercado Livre pode auxiliar no planejamento de energia?

Visto que todo contrato é atrelado a um período, vamos exemplificar como um contrato de energia no mercado livre pode te trazer previsão orçamentária e travamento de risco.

Por exemplo, sua empresa migrará para o mercado livre no início de 2021 e, junto a migração, fez uma aquisição contratual de energia convencional por três anos, em julho de 2020, conforme preços abaixo:

tabela-representa-os-valores-de-um-contrato-de-tres-anos

Uma vez que seu contrato já tem os preços fixados, seu risco já foi travado, e a única variação que cabe agora é o reajuste de inflação, que será aplicado no início do fornecimento de cada ano. Só para ilustrar, vamos utilizar valores fictícios para o índice IPCA e prever um reajuste para o contrato:

tabela-representa-os-valores-de-um-contrato-de-tres-anos-no-mercado-livre

Desta forma, a empresa pode então ter acesso a tão valorizada previsibilidade orçamentária, já que o IPCA será o único agente influenciador no preço já fixado em seu contrato.

Com seu preço de energia definido, os reajustes da distribuidora passarão a afetar somente as tarifas de distribuição, parte que tem um impacto menor no valor final de sua conta, reduzindo em muito as possibilidades de uma surpresa “desagradável” para o seu bolso, e por conseqüência, o aumento de seu acerto na previsibilidade do seu planejamento de energia!

Então, para mais detalhes e outras formas de potencializar sua economia no mercado livre, fale com a Ecom Energia e entenda por que a nossa gestão vai além do economizar!